top of page
  • Foto do escritorCamila Voluptas

Sufocados pelo medo | Traumas que causam em nós!

Vocês conseguem imaginar a quantidade de traumas que vamos desenvolvendo ao longo de cada opressão que sofremos?



A vida de swinger é acompanhada do medo do julgamento. Quando alguém te liga para dizer que precisa muito falar com você sobre uma coisa que soube, o gelo na espinha é certo, e logo você imagina que foi descoberto. A pergunta que eu faço hoje é: o quanto isso é normal? Ter medo sobre as escolhas do seu próprio corpo e sobre sua própria sexualidade como se fosse algo ilícito parece natural?



Grande Nietzsche!



O Brasileiro vive em média 80 anos, todos eles guiados pela preocupação da opinião das pessoas que nos cercam. Parece sadio viver sobre o julgo daqueles que dizem nos amar? Como disse Nietzsche, “Quem, em prol da sua boa reputação, não se sacrificou já uma vez — a si próprio?”

Eu descobri uma nova sexualidade em mim. Uma sexualidade livre de julgamentos e rótulos que me traz felicidade, amor, paz e compreensão sobre o meu eu.


Sexualidade é um direito, sim!

Minha sexualidade, que é meu direito constitucional, não pode interferir nas minhas relações sociais e na forma que minha idoneidade deve ser respeitável. Hoje é difícil para nós, influenciadores dessa nova sexualidade ainda sem bandeira defensável, lutar pela sexualidade livre, que possivelmente será usufruída pela próxima geração. Talvez seremos apenas citações e lembranças nas postagens dos mais jovens.


Sua sexualidade é um direito seu!


Sua sexualidade é sua de direito, por mais que existam dogmas e seus elóquios tentando te moldar em uma única fórmula moral. Se faz bem a você e não faz mal a nada nem ninguém, você está no caminho da sua plenitude.


Fazer o bem aos outros e a você é a única coisa que justifica sua existência!


Comments


bottom of page